Você está em: brasil/
  • McLUHAN: O PROFETA DA MÍDIA GLOBAL

  • “O mundo é uma aldeia global” (Marshall McLuhan)

    Os anos 60 já se foram, para muitos, as saudades de um tempo se perderam em meio aos desencontros de uma década com muitas descobertas para todas as áreas do saber acadêmico e das pesquisas científicas...
    Neste contexto, entre meados dos anos 50 e início dos anos 70, ficou a marca registrada dos anos 60, pois, foram dez anos com muitos registros sobre várias áreas, entre as quais, podemos citar: comunicação, educação, cultura e política...
    Neste meio sem início, porém, com um final quase feliz pode-se dizer, quando o movimento Paz e Amor passeavam com suas bandeiras pelo livre arbítrio do momento solene, nas buscas pelas ruas e avenidas de uma capital qualquer, desde que a mesma tivesse uma identificação com nossas crenças ou utopias visando ou quem sabe, prenunciando um novo tempo para a humanidade neste planeta Terra...
    Foi nesta década que surgiu do nada para o tudo, um profeta, antes de tudo, um pesquisador preocupado com os conceitos da comunicação em tempo de Paz e Amor, nem tanto, já que estava ficando sem controle para Tio Sam o envolvimento dos norte-americanos na Guerra do Vietnã em condições alheias para o todo poderoso exército vencedor na II Guerra Mundial (1939-1945)...
    Para um entendimento sobre a importância de Marshall McLuhan neste cenário mais do que pós-moderno, é preciso voltar ao tempo, isso mesmo, no período da invenção da imprensa por Gutenberg, ao mesmo tempo, ressaltar a importância da página impressa, já que a mesma foi o prenúncio das tecnologias dos séculos seguintes, mais precisamente no século XX, quando aconteceram as maiores invenções em áreas afins aos interesses do homem enquanto ser social...
    Em 1500, a invenção da escrita deixava suas marcas em muitas áreas deste pequeno mundo, isso é, foi quando um pensador, Erasmo, percebeu a importância desta descoberta e buscou a sua aplicação por meio dos estudos acadêmicos, fortalecendo assim, a criação e organização das escolas primárias da sua época...
    Não demorou muito e apareceu o livro impresso, com isso, lá se foram mais de dois mil anos de cultura manuscrita, neste cenário de transformação, Erasmo foi se envolvendo de forma efetiva e eficaz, visando à criação das novas opções para o aprimoramento desta descoberta, bem como, apresentando mais e mais alternativas compatíveis com aquele novo tempo, tais como: estudante solitário e a fixação da norma da interpretação privada contra o debate público...
    Hoje, os projetos tendem a seguir outras normas, isso é, dependendo sempre dos interesses incultos do poder institucionalizado pela pseudodemocracia ocidental ou então, pelos donos do sistema autoritário existente em alguns países, quando a chamada força determina como e em que quais condições poderão acontecer à mudança interna e externa desta ou daquela sociedade...
    Desta forma, fica compreensível o acontecimento daqueles anos pós-século XV, sem mencionar que, depois vieram aqueles anos de trevas mediados pelo período medieval, sob a tutela incondicional do poder sacralizado da Igreja em meio às neuroses do ser humano, perdido em suas contradições, entre salvação e pecado num tempo obscuro e controlado pelas escrituras sagradas, porém, mediado pelo homem como representante in loco do Deus Todo Poderoso...
    Porém, o objetivo deste texto é ressaltar a importância do Profeta da Mídia Global, Marshall McLuhan em tempo de globalização, quando nos anos 60 o mesmo apareceu naquele contexto multicultural em todos os sentidos, ressaltando seus conceitos na área comunicacional e revisados neste novo tempo como sendo um dos principais teóricos da comunicação, afinal, O mundo é uma aldeia global...
    Ave Marshall McLuhan!










    Prof. Sergio Barbos
    __________________________________
    (*) Jornalista diplomado.