Você está em: economia/
  • Negócio com aporte de apenas R$ 300 é possível

  • Negócios compactos do ramo de franchising se tornam alternativas para quem quer ser empreendedor, porém possui poder aquisitivo restrito ou deseja apostar em oportunidades com risco reduzido e baixo capital inicial. Dois formatos se encaixam nessas características.
    Um deles é microfranquia, cujo investimento vai até R$ 90 mil, conforme a ABF (Associação Brasileira de Franchising). O outro é conhecido como nanofranquia, conceito recente ainda não considerado na classificação oficial da entidade que representa o setor, mas que tem ganhado espaço por requerer, no máximo, R$ 25 mil para operar e não obrigar o investidor a ter loja física.
    A Gigatron Franchising, de Birigui, desde 2012 oficialmente no mercado de franquias, é uma das redes que investem no modelo de nanofranquia, com possibilidade de o investidor trabalhar no sistema home office. "O franqueado precisa apenas de um computador", afirma o diretor-executivo da empresa Marcelo Salomão.












    Fonte:Folha da Região