Voc est em: economia/
  • Gasolina aumenta amanh 3,3% nas refinarias; diesel sobe 0,1%

  • A Petrobras anunciou para amanh (5) novo aumento da gasolina de 3,3% e do diesel de 0,1%. Nos ltimos reajustes consecutivos, a gasolina acumulou acrscimo de preo de 11,2% desde o dia 31 de agosto e o diesel ficou 8,94% mais caro desde o dia 29.
    O aumento nas refinarias e est de acordo com a nova poltica de preos da estatal, que utiliza como base o preo de paridade de importao, que representa a alternativa de suprimento oferecido pelos principais concorrentes para o mercado - importao do produto.
    Aps dois meses em vigor da nova poltica de reajuste do preo dos combustveis, a Petrobras avaliou como positiva a mudana implantada em 3 de julho, com aumentos ou redues quase dirios da gasolina e do leo diesel.
    Em reunio na semana passada, o Grupo Executivo de Mercado e Preos (Gemp) da Petrobras disse que os ajustes promovidos tm sido suficientes para garantir a aderncia dos preos praticados pela companhia s volatilidades dos mercados de derivados e ao cmbio.
    Segundo a estatal, durante o ms de agosto os ajustes acumulados foram de +3,4% na gasolina e de +2,2% no diesel, at o dia 29 ltimo. Em julho, na avaliao feita at o dia 27, os ajustes acumulados foram de 4,7% no diesel e de - 0,6 % na gasolina.
    Para o consultor Adriano Pires, scio-fundador e diretor do Centro Brasileiro de Infra Estrutura (Cbie), a poltica de ajustes positiva para a empresa, que, segundo ele, tem conseguido diminuir a capacidade ociosa das refinarias e reconquistar mercado na venda de gasolina e de diesel no pas.
    Acho que a poltica est tendo sucesso, as empresas que importavam esto tendo que ter muito mais cuidado na importao, porque a importao s vezes demora, o prazo da chegada do produto no Brasil de uns 30 dias, e em 30 dias a Petrobras pode ter feito 30 reajustes, para baixo ou para cima, no preo da gasolina. Ento, agora, as distribuidoras/importadoras de gasolina e leo diesel tm que prestar muita ateno no estoque dos produtos. Porque antes olhavam muito s a questo do preo.
    Do ponto de vista da sociedade, Pires considera uma boa poltica porque os reajustes dirios banalizam os aumentos ou redues e tiram a gasolina e o diesel da primeira pgina do jornal. A gente tinha uma cultura no Brasil de achar que preo de gasolina e diesel diferente do preo do leite, do arroz, do feijo, e sempre ficava aquela expectativa, quando que vai anunciar o aumento da gasolina, o aumento do diesel, da dava primeira pgina do jornal e o cara aumentava o po na padaria, o refrigerante e a cachaa no mercado, argumentou.
    Controle da inflao
    Segundo ele, anteriormente os reajustes eram feitos para controlar a inflao, aumentar a arrecadao ou ajudar os candidatos apoiados pelo governo de planto a ganharem as eleies.
    J o presidente da Associao dos Engenheiros da Petrobras (Aepet), Felipe Coutinho, afirmou que a nova poltica no diminuiu a ociosidade das refinarias, nem fez a empresa reconquistar mercado.
    Na verdade, atravs da poltica de preo da Petrobras, a gente est entregando o mercado brasileiro para os importadores. Voc pode verificar isso tanto na ociosidade das refinarias quanto nos dados de importao de derivados. Com essa poltica de preos, a Petrobras aumentou o preo nas refinarias. E quando reajustou o seu preo nas refinarias, ela viabilizou a importao por terceiros. Isso o mesmo que entregar o mercado brasileiro para os concorrentes, explicou.
    Coutinho discorda que os combustveis possam ser considerados como as outras commodities (mercadorias com preos em dlar). Segundo ele, a qualidade de vida das pessoas est ligada intensidade energtica do seu consumo.
    A energia o que movimenta a economia, o que movimenta a indstria, o que faz com que as mercadorias e as pessoas circulem. Ento, quando voc tem preo da energia alto, voc torna toda a economia menos produtiva. E essa improdutividade da economia impacta nas condies de vida da populao. Quando voc consegue ter uma economia com os custos de energia mais baixos, ela fica mais competitiva e as pessoas podem consumir mais, opinou.
    O engenheiro lembra tambm da importncia do preo da energia para a economia interna ser capaz de competir internacionalmente e no carter estratgico e militar.
    Voc tratar a questo da energia, do petrleo, como se fosse uma mercadoria qualquer e fosse substituvel, isso uma falcia. Isso no feito pelos principais pases. Pelo contrrio, se trata a questo da soberania energtica, assim como a soberania alimentar, como uma questo vital para o interesse nacional. Quando voc trata, no Brasil, o petrleo brasileiro como se fosse uma mercadoria qualquer, na verdade voc est favorecendo os interesses estrangeiros que querem se apropriar do petrleo, e que no tratam o petrleo dessa forma, finalizou.














    Fonte:Agncia Brasil