Você está em: esporte/
  • PONTE VENCE NOS PÊNALTIS E TIRA SANTOS DA SEMI APÓS 9 ANOS

  • O Santos entrou no Pacaembu, na noite desta segunda-feira, disposto a reverter a vantagem da Ponte Preta e avançar para as semifinais do Campeonato Paulista. Empurrado por mais de 37 mil torcedores, o time praiano deixou de lado a apatia demonstrada no duelo de ida, em Campinas, pressionou o adversário desde os primeiros minutos e venceu por 1 a 0, com um golaço marcado por David Braz.
    Porém, como perdeu pelo mesmo placar no Moisés Lucarelli, o confronto foi decidido nos pênaltis. Ironicamente, Braz foi único jogador que perdeu uma penalidade e Ponte ficou com a vaga na semifinal do Estadual. Dessa forma, o time da Vila Belmiro fica fora de uma semifinal pela primeira vez desde 2008. De lá pra cá, sempre alcançou a decisão e coleciona cinco títulos e três vices.
    Com a classificação, a Ponte volta a uma semifinal após cinco edições e terá pela frente o Palmeiras na semifinal do Paulistão. Como o clube alviverde ostenta a melhor campanha do torneio, o primeiro duelo será em Campinas e a confronto decisivo acontece no Allianz Parque.
    Braz faz golaço e Santos reclama de pênalti
    Como já era esperado, o duelo começou quente no Pacaembu. Precisando de dois gols para avançar, o Santos começou em cima da Ponte. Logo aos cinco minutos, Ricardo Oliveira recebeu lançamento, avançou para dentro da área e bateu cruzado. A bola passou raspando a trave direita do goleiro Aranha.
    No lance seguinte, Lucas Lima mandou uma bomba de longe e assustou novamente o arqueiro da Macaca. Mostrando um futebol diferente das últimas partidas, o Peixe abandonou a lentidão e pressionava a saída de bola da Ponte. Acuado, o time de Campinas tentava colocar morosidade na partida, pensando na vantagem de ter vencido o primeiro jogo por 1 a 0.
    Os minutos foram passando, a equipe comandada por Dorival Júnior continuou pressionando e foi premiada aos 15 da primeira etapa. E foi em grande estilo. Após cobrança de falta de Lucas Lima, Bruno Henrique desviou de cabeça para dentro da área. Lucas Veríssimo tentou uma bicicleta e bola sobrou para David Braz. Mesmo sendo zagueiro, ele mostrou extrema categoria para emendar um lindo voleio e abrir o placar no Pacaembu. Golaço!
    Após a abertura do marcador, o Santos diminuiu um pouco o ímpeto inicial e deixou a Macaca 'respirar' um pouco na partida. Mesmo assim, o time comandado por Gilson Kleina não conseguia incomodar o goleiro Vanderlei, que não fez uma defesa sequer durante todo o primeiro tempo.
    Antes do intervalo, ainda sobrou tempo para os santistas reclamarem de um pênalti em cima de Bruno Henrique. O atacante foi empurrado dentro da área, mas o árbitro Rafael Gomes Felix da Silva, o mesmo daquela polêmica vitória do Peixe sobre o Red Bull Brasil, mandou o lance seguir, revoltando torcedores e atletas do Peixe.
    Santos não amplia e perde nos pênaltis
    Ao contrário do que aconteceu na etapa inicial, a equipe comandada por Dorival Júnior voltou do intervalo com um ritmo mais tranquilo. A Ponte, por sua vez, não se mostrava disposta a arriscar e apenas apostava nos contra-ataques. Porém, não demorou muito para o Santos retomar as rédeas do jogo e ter a primeira oportunidade.
    Aos 9 minutos, Victor Ferraz cruzou na área e a defesa da Macaca afastou. No rebote, Zeca dominou, cortou para a perna direita e soltou uma bomba, obrigando o goleiro Aranha a fazer boa defesa e salvar o time de Campinas. Logo depois, aos 12, Vitor Bueno cobrou falta para dentro da área, a bola passou por todo mundo e assustou o arqueiro pontepretano.
    A pressão continuou. Aos 17 minutos, Zeca recebeu de Lucas Lima, avançou na entrada da área e arriscou mais um chute. A bola foi no cantinho esquerdo de Aranha, mas bateu na trave.
    Após sofrer novamente com a pressão santista, a Ponte finalmente 'acordou' aos 26 minutos e teve sua primeira grande oportunidade com Ravanelli. O meia bateu falta direto para o gol e Vanderlei salvou o Peixe. No lance seguinte, Elton cruzou na área e Yago mandou para o fundo das redes. Porém, o defensor estava impedido e o empate da Macaca foi anulado.
    A pequena pressão da Ponte parou por aí. Porém, o Santos também 'pregou' no gramado e pouco assustou Aranha. No último suspiro, aos 47 minutos, o colombiano Jonathan Copete recebeu fora da área, dominou no peito e mandou um vôlei. A bola passou muito perto da trave direita. Após a chance perdida, o árbitro Rafael Gomes Felix da Silva apitou o fim da partida, decretando a decisão por pênaltis no Pacaembu.
    Na primeira cobrança, Kayke marcou para o Santos. Ravanelli empatou. David Braz, autor de um golaço no primeiro tempo, parou em Aranha. Depois, Yago venceu Vanderlei e colocou a Ponte em vantagem. Jean Mota, que entrou na reta final da partida, bateu com categoria e marcou o segundo do alvinegro.
    A Macaca, porém, seguia mostrando categoria nas penalidades. Clayson tirou Vanderlei e manteve o time de Campinas na frente. Na sequência, Copete também deslocou Vanderlei. Jadson anotou mais um para a Ponte.
    Já Lucas Lima, por sua vez, bateu no ângulo e manteve o Peixe vivo. Porém, William Pottker marcou o último e confirmou a Macaca na semifinal do Campeonato Paulista.
    FICHA TÉCNICA
    SANTOS 1 (4) X (5) 0 PONTE PRETA
    Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
    Data: 10 de abril de 2017, segunda-feira
    Horário: 20h (de Brasília)
    Árbitro: Rafael Gomes Felix da Silva
    Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Danilo Ricardo Simon Manis
    Público: 37.145
    Renda: R$1.515.650,00
    Cartões amarelos: SANTOS: Vitor Bueno, Victor Ferraz. PONTE PRETA: Clayson, Reynaldo, William Pottker.
    GOL:
    SANTOS: David Braz, aos 15 do 1ºT;
    SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Bruno Henrique (Copete), Vitor Bueno (Jean Mota) e Ricardo Oliveira (Kayke).
    Técnico: Dorival Júnior
    PONTE PRETA: Aranha; Nino Paraíba (Jeferson), Marllon, Yago e Reynaldo; Jádson, Elton e Wendel (Naldo); Clayson, Lucca (Ravanelli) e Pottker.











    Fonte:Terra