Voc est em: oeste-paulista/
  • Irregularidades bloqueiam seguro-desemprego de beneficiados em Adamantina

  • Aps ser demitida em janeiro, uma mulher, de Adamantina, que no quis se identificar, deu entrada no seguro-desemprego, direito assegurado pelo Governo Federal para quem est sem emprego e sem fonte de renda. Ela recebeu a primeira parcela normalmente em maro, mas, ao tentar sacar novamente o salrio no ms seguinte, teve uma surpresa o recurso estava bloqueado.

    A beneficiria explica que assim que constatou que o seguro-desemprego no estava disponvel entrou em contato com posto de atendimento do Ministrio do Trabalho, em Adamantina. No local, descobriu que a situao se repetiu com outros 20 beneficiados.

    Ela explica que o bloqueio foi devido a uma irregularidade no momento de incluso do salrio no sistema do Governo Federal. Uma estagiria da Prefeitura, que prestava servio no local, colocou de forma errnea os salrios dos ltimos meses, causando a incompatibilidade. Devido alterao, o sistema do Ministrio do Trabalho apontou fraude, mas no tnhamos conhecimento do ocorrido, disse.

    Com o problema constatado, o posto de atendimento do Ministrio do Trabalho entrou com processo para desbloqueio do benefcio. Eles enviaram a documentao para Presidente Prudente, que encaminhou Braslia em maio. E, desde ento, estamos aguardando uma soluo. Trs meses esperando, diz, indignada.

    A beneficiria era para ter recebido cinco parcelas, sendo a ltima em 8 de julho passado. Foi uma irregularidade realizada por uma estagiria deles, mas quem est sofrendo as consequncias somos ns. Tenho contas para pagar, j esto atrasadas. E, para conseguir outro emprego est difcil em Adamantina, enfatiza.
    Uma soluo para o problema, apontada pela beneficiria, pode ser a devoluo dos valores recebidos incorretamente. Como a estagiria alterou os valores dos salrios, recebi o benefcio a mais que tinha direito. Ento, o pessoal do Ministrio do Trabalho afirma que uma das solues a devoluo do valor, para posterior desbloqueio do seguro-desemprego. Mas, fica a pergunta, aqueles que j gostaram e no tem dinheiro para devolver, o que vo fazer?, questiona. E, mesmo devolvendo, corremos o risco de no receber as demais parcelas. Tambm, ningum tomou providncias quanto a responsvel pelos erros, completa.
    Outro lado
    O Governo Federal implementou novo sistema para o seguro-desemprego em fevereiro. A nova sistemtica antifraude cruza pedidos do benefcio com informaes da Caixa e da Receita Federal, entre outros rgos.
    Segundo o chefe da agncia do Ministrio do Trabalho, Ciro Pasotti Durighetto, a estagiria da Prefeitura, que prestava servio no posto de atendimento de Adamantina, colocou os valores dos ltimos salrios dos beneficirios de forma errnea, apontando a fraude. Ao digitar os valores no sistema, de vez colocar o salrio em registro, inseriu os valores da resciso contratual, segundo ela, nos explicou. Ao fazer a varredura nos dados, o sistema apontou incompatibilidade, ocasionando o bloqueio.
    Durighetto explica que ao constatar as irregularidades dispensou a estagiria. Realizamos cerca de 500 solicitaes de seguro-desemprego por ms, de Osvaldo Cruz a Panorama. E, nunca os benefcios foram bloqueados. Ao verificar as incompatibilidades, devolvemos a profissional a Prefeitura, pois um erro inaceitvel, e entramos com processo para desbloqueio dos valores.
    O chefe da agncia local explica que foram enviados os documentos para a regional, em Presidente Prudente, que encaminhou junto com as justificativas Braslia. Os processos deram entrada no ms de maio na Assessoria de Controle do Ministrio do Trabalho. Desde ento, tambm estamos aguardando uma providncia. Agora, responsabilidade do setor jurdico, que analisar caso a caso e apontar as medidas que devem ser tomadas. A nossa parte fizemos, e fazemos, que cobrar diariamente uma soluo. Mas, o setor recebe pedidos da mesma espcie de todo o pas, afirma.
    Em abril, de acordo reportagem da TV Globo, o Ministrio do Trabalho j havia identificado e bloqueado 21 mil pedidos fraudulentos de seguro-desemprego. Ao identificar essas irregularidades, o governo deixou de pagar mais de R$ 120 milhes. As fraudes tinham, na maioria, a participao de funcionrios pblicos, alguns terceirizados, segundo aponta a reportagem.










    Fonte:GRUPO IMPACTO