Você está em: oeste-paulista/
  • FCAT Unesp–Dracena tem projeto apresentado ao MPF aprovado por excelência

  • A Faculdade de Ciências Agrárias e Tecnológicas (FCAT) -Unesp – Dracena aguarda liberação de recurso financeiro para que seja construído um CERETAS – Centro de Recuperação e Triagem de Animais Silvestres nas instalações da unidade.
    O diretor da unidade, professor doutor Paulo Alexandre Monteiro de Figueiredo, frisou que o orçamento é de aproximadamente R$ 4 milhões, cujo prédio deverá contar com jaulas, corredores de voo, instalações ambulatoriais e laboratoriais para tratamento e reabilitação de animais silvestres. Além disso, trará mais agilidade e eficiência nas ações relativas ao manejo de animais silvestres vítimas de atropelamentos, incêndios ou outros acidentes na cidade e região.
    A diretora técnica administrativa da FCAT, Ana Maria de Souza Queiróz e o diretor professor Paulo Figueiredo falaram ao JR e Portal Regional sobre o futuro Centro de Recuperação e Triagem de Animais Silvestres.
    Ana Maria pontuou que: “A direção do campus, através do professor Paulo Figueiredo, tomou conhecimento sobre a realização de projetos a serem apresentados ao Ministério Público Federal em Presidente Prudente e partir dai apresentou o trabalho que foi analisado por uma comissão no órgão sendo julgado procedente e aprovado por excelência”.
    O valor diz respeito à multa ambiental aplicada à Cesp.
    Atualmente o projeto do CERETAS encontra-se na Caixa Econômica Federal (CEF), onde está sendo analisado aguardando à liberação do recurso financeiro.
    O professor Paulo ressaltou que a FCAT aguarda a CEF e espera que de tudo certo. Explica que a instalação do futuro Centro de Recuperação e Triagem de Animais Silvestres será um grande diferencial para Dracena e região. “Hoje os animais silvestres que necessitam de cuidados aqui na cidade e região seguem para Assis, distante do nosso município e temos condições de desenvolver esse trabalho aqui no campus”.
    Paulo Figueiredo afirmou que além das instalações voltadas aos atendimentos desses animais, ainda contam com laboratório de anatomia de animais silvestres e auditório para aulas e defesas de teses sobre o tema. “Será um grande avanço nas instalações físicas do campus”, disse o diretor.














    Fonte:Portal Regional